Entenda a divisão de Forças do Crioulaço e Laço Criador

O grande momento da competição de tiro de laço da ABCCC se aproxima.

22 de abril de 2019

De 25 a 28 de abril, os laçadores se reúnem no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio/RS, para a Final Nacional do Crioulaço, divididos em três forças: A, B e C. Mas você sabe como é feita essa divisão?

De acordo com o Regulamento (clique aqui para acessá-lo), cada Crioulaço deve ter, no mínimo, 12 duplas inscritas; e todas se classificam à Final Nacional, distribuídas em uma das três forças, sendo determinadas pela colocação.

Força A: destinada aos três melhores colocados no Crioulaço; ou seja, na Final Nacional, concorrerão na Força “A” as duplas em que um ou ambos os laçadores tenham participado de duplas que tenham sido classificadas em algum Crioulaço do ciclo em primeiro, segundo ou terceiro lugares.

Força B: para ela, classificam-se 30% dos participantes do Crioulaço. O regulamento ainda prevê uma possibilidade: “O técnico supervisor do evento, dentro do bom senso e da margem máxima de 30%, terá autonomia para aumentar o percentual de classificação de um Crioulaço, com o intuito de evitar que haja disputa muito prolongada por vagas na Final”. 

Ou seja, na Final Nacional concorrerão na Força “B” as duplas em que nenhum dos laçadores tenha participado de duplas que tenham sido classificadas em algum Crioulaço do ciclo em primeiro, segundo ou terceiro lugares.

Força C: destinada aos que ficaram fora da margem anterior (30%); ou seja, na Final Nacional concorrerão na Força “C” as duplas nas quais ambos os laçadores não tenham conseguido classificação em nenhum Crioulaço do ciclo (nem entre si, nem fazendo dupla com terceiros). Poderão concorrer as duplas de animais que partiparam de pelo menos um Crioulaço no ciclo.

Por fim, na Final Nacional o conjunto (cavalos e laçadores) vencedor do Laço de Ouro Força “A” de um ciclo está automaticamente classificado para defender o título na Final Nacional do ciclo seguinte.

> O fator determinante para a classificação é o animal, podendo haver troca de um ou de ambos os laçadores; saiba mais no Regulamento (Art. 25) - clique aqui e acesse.

 

LAÇO CRIADOR

De caráter individual, e não de duplas, o Laço Criador ocorre em paralelo a todos os Crioulaços. Nessa modalidade, somente poderão participar criadores de Cavalos Crioulos, seus cônjuges, pais e filhos, que deverão montar animais de sua criação. 


No Laço Criador, os laçadores que terminarem a classificatória em primeiro, segundo e terceiro lugares estarão automaticamente classificados à Final Nacional, onde disputarão na Força “A”. Já a Força “B”, embora não-oficial, é destinada a todos os outros competidores que também participaram e jogaram suas armadas.

 

Além disso, é classificado o conjunto (cavalo/cavaleiro), não podendo haver troca de ginete ou montaria. O vencedor (cavalos e laçadores) do Laço Criador de um ciclo está automaticamente classificado para a Final Nacional do ciclo seguinte.

 

> O atual Regulamento foi atualizado e revisado em abril de 2017. 

Redação Pedro Henrique Krüger/ABCCC
Imagem: Fagner Almeida/Arquivo ABCCC

18/04/2019 Um instante eternizado

Um instante eternizado

18/04/2019 Dijon Chic MRL bate recorde dos 320 metros em Sorocaba

Dijon Chic MRL bate recorde dos 320 metros em Sorocaba

18/04/2019 Núcleo de Ijuí terá arquibancada coberta

Núcleo de Ijuí terá arquibancada coberta

18/04/2019 Leilão de Coberturas ABCPCC: inscrições abertas, com término em 30/04

Leilão de Coberturas ABCPCC: inscrições abertas, com término em 30/04

18/04/2019 Vem aí a 2ª prova qualificativa de Adestramento para o Pan 2019

Vem aí a 2ª prova qualificativa de Adestramento para o Pan 2019

16/04/2019 NBHA-Brazil promoveu encontro alegre e produtivo no Congresso

NBHA-Brazil promoveu encontro alegre e produtivo no Congresso

16/04/2019 Mesorregião da Grande Florianópolis ganha novo Núcleo

Mesorregião da Grande Florianópolis ganha novo Núcleo

16/04/2019 Nova Moleca e Peut Étre vencem, entre os mais novos, na capital gaúcha

Nova Moleca e Peut Étre vencem, entre os mais novos, na capital gaúcha

Histórico