Conheça os classificados em Santa Vitória do Palmar

“Mas que baita recepção!”, disse Ibsen Votto, gerente do setor de eventos, ao entrar no Parque do Sindicato Rural de Santa Vitória do Palmar/RS.

15 de abril de 2019

Este era o clima o qual os funcionários da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC) encontravam na chegada a Terra dos Campos Neutrais. Filas de Cavalos Crioulos, filas de pessoas, sorriso no rosto e cumprimentos calorosos, a segunda Classificatória de Paleteada do ciclo 2019 estava por começar.

 

“Aqui é assim: se for pra receber, tem que receber bem”, respondeu o técnico responsável do evento, Rodrigo Teixeira, sócio do Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Santa Vitória do Palmar, complementando a frase com uma risada. A ambiência é peculiar: é como se a cidade respirasse o evento. A prova totalizou 79 duplas que têm por objetivo garantir seu espaço na final da modalidade, que ocorrerá durante a programação da raça Crioula na Expointer 2019.

 

Primeiro dia de competição

Antes das 11h da manhã da sexta-feira, 12/4, quase todos conjuntos já haviam passado pela admissão e já se preparavam para saborear um almoço feito pelo restaurante do NCCC e, no início da tarde, dar início a tão aguardada disputa das Paleteadas. Assim que os jurados Felipe Caccia Maciel e José Carlos Fonseca estavam a postos, a primeira dupla se posicionava, não demorou para o narrador Bruno Silveira autorizar a primeira corrida.

 1º lugar: Pedro Martins Da Silva Móglia montando Percanta De Santa Thereza e Ramiro Raposo de Moura montando Pluma da Guajuvira

No decorrer da tarde, as duplas foram divididas em baterias para correr, separadas de 1 a 20, 21 a 40 e assim por diante. Cada “time”, formado por dois crioulistas montados – cada um – em um exemplar Crioulo fez duas voltas, alterando apenas o lado em que corriam. Após mais de três horas de competição intensa e sem parada, o fim do primeiro dia desta semifinal termina. Com a média parcial de 20 pontos, Luan Carvalho e Renan Saldanha arrancaram na primeira posição, seguidos de duas duplas, ambas com 19,50 de pontuação parcial, Carlos Loureiro de Souza e Luiz Alberto Martins e, depois, Pedro Martins da Silva Móglia e Ramiro Raposo de Moura. 

 

Sábado manhã intensa e tarde de alta expectativa

Intensidade. Um cartaz grande que é quase uma marca registrada da Paleteada. Hoje, pela manhã, o público presente – oriundo de diferentes cidades – pôde atestar: a Classificatória de Santa Vitória do Palmar não dá tempo para uma respiração profunda. Tanto os competidores quanto o gado, cedido pela Estância Tamanca, foram de um canto ao outro da pista incansavelmente.

 

As duplas performaram o seu melhor desde às 8h da manhã ventosa da Terra dos Campos Neutrais. A fotografia perfeita estava formada, com apaixonados pelo Cavalo Crioulo montados em seus companheiros equinos, sob um sol que amanhecia e era enfeitado por algumas nuvens no céu. Depois de mais de duas horas de disputa, o fim de mais uma parte da semifinal chega.

 2º lugar: João Vitor Claus Dutra montando Poliango da Morada Nova e Ricardo Peres montando Rica Flor da Morada Nova

Com nova liderança, a Classificatória agora tem Alfeu Guerra montando BT Vatapá e Everton Dias Josende montando Debochada do Bugio como a dupla a ser batida. Com a pontuação de 37,50 de média parcial, eles sobressaem Ricardo Peres e João Vitor Claus Dutra, dupla segunda colocada até o momento, e Pedro Móglia e Ramiro de Moura, que ocupam a terceira colocação.

 

Ainda no sábado, a parte da tarde guardou a última chance para os conjuntos agrupados em pares alcançarem uma pontuação que os diferencia dos demais e, assim, avançar para o domingo. Durante a pausa para o almoço, a Classificatória recebeu o corpo de bombeiros de Santa Vitória do Palmar para ajudarem com o evento molhando a pista.

 

Após a foto oficial, tirada às 13h30, quando todos os paleteadores perfilaram-se para o registro tirado por Felipe Ulbrich, o músico Luan Oliveira executou o hino do Rio Grande do Sul e, logo em seguida, já estava tudo pronto e o grito de “porta!” ecoava nas imediações da pista a cada entrada corrida que começava.

 3º lugar: Maico Manoel Soares da Silva montando Opaco do Itaó e Antônio Rodolfo Paiva Montano montando Zepelim de Pai Passo

Ninguém parecia se importar com o “Sol de rachar”, pois, com os olhos vidrados na pista, quem não estava correndo, estava acompanhando a dupla a qual corria o boi. Pouco antes das 17h, mais um dia de Paleteada estava encerrado e a liderança tinha os nomes dos dois seguintes paleteadores: Pedro Martins da Silva Móglia e Ramiro Raposo de Moura, que montavam – respectivamente – Percanta de Santa Thereza e Pluma da Guajuvira, com uma média de 56,25, ao término da primeira etapa de disputas.

 

Domingo decisivo

As 41 melhores duplas retornaram à pista de Santa Vitória do Palmar no domingo pela manhã, desta vez, em busca de uma vaga direta à final da modalidade. Quando o relógio marcava 8h a primeira dupla já se posicionava e aguardava a autorização para iniciar a corrida. A cada par de paleteadores, uma nova pontuação estava computada, com ela surgiam dúvidas de quais seriam os classificados.

 

Cerca de três incansáveis e vigorosas horas, com pouco tempo para respirar, estava decidido. Após a sexta-feira e o sábado de competição, o domingo trazia os nomes dos melhores pontuados e que se habilitavam ao grand finale do ciclo das Paleteadas.

 

O fim do evento marcou a habilitação dos seguintes nomes à final:

 

1º lugar
Pedro Martins Da Silva Móglia montando Percanta De Santa Thereza e Ramiro Raposo de Moura montando Pluma da Guajuvira

Nota: 74,75

 

2º lugar
João Vitor Claus Dutra montando Poliango da Morada Nova e Ricardo Peres montando Rica Flor da Morada Nova

Nota: 70,25

 

3º lugar
Maico Manoel Soares da Silva montando Opaco do Itaó e Antônio Rodolfo Paiva Montano montando Zepelim de Pai Passo

Nota: 68,00

 

Demais classificados:

- Carlos Loureiro de Souza montando Universitária 3687 da Tradição e Luiz Alberto Martins Bastos montando Recatada 3604 da Tradição

- Rudimar Penso montando Gata Del Rey e Felipe Augusto Zanin montando JL Hermosa

- Armando Duarte montando Campana Kalamaco e Carlos Loureiro de Souza montando Campana Bienvenida

- Valter Marques montando Grunido de Santa Gertrudes e Dilamar Machado montando Entonado da Santa Gertrudes

- Thiago Ramos Saldanha montando Tucano 45 da Boa União e Tiago Potich Piággio montando Trinta e Três 170 do Jarau

- Antônio Lemos Piuma Filho montando Desenhado do Palomy e Waldinar Souza da Silva montando Faceira do Piuma

- João Francisco Terra Cardozo montando Jornada da Dona Silvina e José Rafael Nunes Filho montando Jurupinja da Dona Silvina

- Renan de Marco Flório montando Acalanto do Ichú e Igor Feijó montando Vedete 120 da Lata

- Luiz Alberto Martins Bastos montando Saludo de Santa Angélica e Carlos Loureiro de Souza montando Faceira II da Camila

- Dilamar Machado montando Graúna do Macanudo e Valter Marques montando Desconfiada da Santa Gertrudes

- Luiz Alberto Martins Bastos montando Cartilha 3725 da Tradição e Carlos Loureiro de Souza montando Ballenera 3742 da Tradição

- Gustavo Emilio Federizzi montando Dádiva do Encanto e Luciano Comiotto montando Hermossa do Encanto

- Ricardo Peres montando Recoleta da Morada Nova e João Vitor Claus Dutra montando Faca na Bota do Madrugador

- Vinícius Freitas montando Qualquiera da Escondida e Carlos Loureiro de Souza montando Tarapacá da Escondida

- Gustavo Silveira Rodrigues montando Campana da Granja e Cristiano Teles Neumann montando Correntina da Granja

- Carlos Loureiro de Souza montando Itapitocai Salamanca 435 e Victor Hugo Oliveira Marques montando Untado 1291 da Escondida

- João Pedro Ribeiro da Rosa montando Napoleão da Ouro Branco e William Gondran Costa montando Piraí 1654 do 1040.

 

Redação Arthur Grohs/ABCCC
Imagem: Felipe Ulbrich

Histórico